segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Entre braços e abraços


Quantos risos cabem num abraço num breve espaço de vários braços...
Alegrias tantas já compartilhei com estes abarcamentos.
Tristezas muitas já dividi para amenizar a dor.
Sentir a proteção num unir de mãos, dedos, braços e abraços.
É mais que somente um, é sentir o outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário