quarta-feira, 21 de setembro de 2011


Antes de dormir

Quero dar um até logo e dizer 

que não pretendo que seja a última 
vez

Mas tão certa é a incerteza que nos faz crer que tudo está certo.

Confuso?

Equivocada é a vida que nos tira alguém antes da partida.

Despedir? Não deve.

Abraçar? Não pode.

Lamentar? Sobra.

Saudades? Sempre.

Não deixemos para depois uma palavra sincera, um abraço apertado, 
aquele sorriso largo na ânsia de fazer coisas num amanhã que poderá não ser seu ou não ter mais aquele alguém no seu amanhã.



sábado, 17 de setembro de 2011


Em meio aquele céu, te perdi

Estava claro, tanta luz.

Mal imaginava o que estava por vir

Desconhecia que tudo está certo

Fácil era questionar.

Mais tarde encontrei

E então pude entender

Quem estava perdida era eu...

Tentando te achar

Encontrei a mim mesma

E hoje sou minha melhor companhia.


quinta-feira, 15 de setembro de 2011


Pés no chão, alma no céu.


Preciso de muito?
O muito é pouco, depende de quem vê.

Ei, você

Mal pisca

Mal diverte

Mal arrisca

Só adverte

O tempo passa

o que você fez?

Parou, esperou, nem viu

O tempo passou.


quarta-feira, 14 de setembro de 2011


Tenho tudo e nada tenho
Sou feliz e sou triste
Sou eu ao avesso
Alegria e solidão
Bipolar?
Não, mulher.





Não sei fazer poema
Mas escrevo sim senhor
Olho pra frente seu Zé
Atrás cai gente...
Você entendeu?
Nem eu.
Não é poema seu Zé
-Não, é amor.
Não é amor seu Zé
-Não, é vida.
É vida sim seu Zé
A MINHA.


o "mim" do "eu"


Resigno-me à solidão

Conformei-me que nasci para ser só

Muito cedo aprendi a perder

Sentir o vazio dentre tantas pessoas.

Ocas, vagas, vãs

Algo que a muito procuro,

Não encontrei em ninguém

Nem em mim.

Perdi por vezes o que nem tive.

E hoje perco o “eu” de mim ou o “mim”do eu

Doeu sempre e dói mais agora no presente.



Nem toda alegria é nossa,

E a tristeza é minha, só.

Dói.


quinta-feira, 8 de setembro de 2011


Nem tudo que vai deixam as fotos
Há momentos que vivi, lugares por onde passei
Que jamais ficarão imortalizadas num papel...
Estarão sim, nas lembranças das minhas retinas.
Um dia quando eu voltar, já não serei mais a mesma
Nem o caminho será mais o mesmo
Talvez a companhia mude e aquele sol também!
Esquente mais, outrora menos, braços a mais... quem sabe?
Tudo a todo instante muda,
E o que a foto não registrou, passou...


sábado, 3 de setembro de 2011


A cada passo teu

Descompasso meu
Aproxima, agita, palpita
Grita, consome, me vira e some
Toc Toc
Chegou o amor!


sexta-feira, 2 de setembro de 2011


Já foi tão mais fácil escrever, fazer brotar em mim palavras.
Certo racionalismo crítico faz-me apagar muitas das linhas que já vivi,
Muitas das coisas que senti.
E assim escrevendo novas linhas refaço-me a cada instante,
Cada momento passa a ser Recomeço!
Assim sou eu: sempre nascendo.


quinta-feira, 1 de setembro de 2011


O que estará atrás daquela nuvem?
Meu pai deve estar lá, o seu também.
O céu parece tão calmo
Remete a sonhos bons
O imaginar me foge aos olhos
E desce ao coração
O aguardar pelo que virá faz-me vigiar a mais esperada das horas chegar
Será o mesmo céu, só que mais bonito
Estarei eu lá, além do infinito...
Mas desta vez não mais em corpo e sim em espírito.